10 Estátuas bizarras vindas dos piores pesadelos

Estátuas existem há tanto tempo quanto a própria civilização humana. Elas são monumentos de nossas conquistas e às vezes refletem a nós mesmos. Elas falam por culturas inteiras e, muitas vezes, essas culturas estão mortas há muito tempo. E, as vezes, só as vezes, elas parecem ser geradas diretamente do mais primitivo dos nossos mais profundos e sombrios pesadelos. Estas estátuas e esculturas são inquietantes na melhor das hipóteses e elas são um vislumbre da psique bizarra de algumas das pessoas que partilham este planeta

10. Homem atacado por bebês – Vigeland Park

10_Frogner_Park_Sculture_02

Vigeland Park é um parque de esculturas na Noruega e tem a distinção de ser o maior exemplo de criação de um único artista. Gustav Vigeland criou mais de 200 estátuas de bronze para o parque, construído em meados da década de 1900. A idéia era examinar as relações entre os diferentes grupos de pessoas e seus círculos sociais e alguns dos resultados variam de estranho à assustador e à perturbador.

A estátua “Homem atacado por bebês” fica na ponte do parque. É uma das 58 esculturas que fica sobre a ponte. A lista também inclui a de um feto. O nome oficial da escultura é “Man Chasing Four Geniuses” (“O homem que persegue quatro gênios”), e ela parece ser um homem nu agitando os braços no alto contra bebês que voam aleatoriamente em sua direção, enquanto ele ainda chuta outro bebê.

A estátua mais alta do parque é o “Monolith”. Uma escultura enorme esculpida a partir de um pedaço de granito, mostrando corpos nus, rastejando e lutando para subir ao céu. É ladeado por outras estátuas que mostram a evolução da vida

9. Ogro de Berna comedor de Bebê

9_1024px-4377_-_Bern_-_Kindlifresserbrunnen_am_Kornhausplatz

Parado no meio de Berna, na Suíça, é uma escultura de fonte que não é apenas perturbadora – é um mistério. Embora saibamos que foi construída em 1546, não sei por que alguém iria construir uma estátua representando um enorme ogro no comendo um bebê, com um saco cheio com outros bebês; a julgar pelas expressões em seus rostos apavorados, eles sabem que serão os próximos.

Existem algumas teorias sobre o significado da estátua. Uma delas é que é suposto ser Khronos – o titã grego que foi dito que seus filhos um dia iriam matá-lo, resolveu então comê-los todos em uma tentativa inútil de preservar sua própria vida. A outra é que a figura é realmente o fundador de Berna, que tinha uma rivalidade ao longo da vida com seu irmão mais novo e acabou ficando tão louco louco que ele tomou raiva das crianças da cidade (não há absolutamente nenhum registro oficial de que isso realmente tenha acontecido). Outra teoria é que a estátua foi construída como um aviso, de lembrar as crianças da cidade o que aconteceu com aqueles que foram impertinentes, ou alternativamente um aviso para os judeus da cidade. Se foi ou não foi originalmente concebida como um aviso, temos certeza de que funcionaria muito bem como um.

8. Zwerglgarten – O Anão de Jardim

8_Mirabellgarten-0912

O Zwerglgarten, ou anão de jardim, é uma das atrações de Mirabelle Palace em Saltzburg, na Áustria. Originalmente chamado Altenau Palace – em honra da senhora do construtor do castelo, o príncipe arcebispo Wolf Dietrich von Raitenau – o palácio abriga um jardim de esculturas muito estranhas e apenas uma parte ainda pode ser visto hoje. Em 1715, o palácio foi a casa do arcebispo Franz Anton Harrach.

Como muitos seguidores de moda e tendências barrocas, Harrach tinha uma obsessão com esquisitices, imperfeições e curiosidades mórbidas. Anton empregou uma série de funcionários anões no palácio, que serviram como entretenimento e diversão. A fim de preservar suas deformidades únicas para sempre, ele tinha um número deles imortalizado em forma de estátuas. As estátuas foram colocadas nos jardins, até que foram removidas mais tarde pelo novo proprietário, o príncipe Ludwig da Baviera. O príncipe estava preocupado com a exposição das sensibilidades delicadas de sua mulher e da criança contra os horrores que eram as estátuas de anão, por isso ele as removeu. Agora, elas são consideradas uma parte importante da história da cidade e nove foram devolvidas para os jardins, enquanto outras permanecem perdidas.

7. Victoria’s way Indian Sculpture Park

7_image003

Caminhando pelas florestas e campos verdejantes da Irlanda, uma das últimas coisas que você pode esperar para tropeçar é uma estátua de um Buda esquelético. Ou uma outro, de uma criança rastejando para fora da terra, tentando libertar-se de um podre punho esquelético. Ou um homem cortando-se ao meio, ou sobre outra figura esquelética, vestida de trapos, eternamente em pé na lama pantanosa e falhando claramente em sua luta para chegar à praia. Elas estão todas entre as estátuas do Parque Indian Sculpture, no condado de Wicklow, e elas deveriam ser representações da viagem de uma pessoa para a realização. A auto-realização.

As 33 estátuas de granito pretas e três de bronzes estão em exposição em um parque de 22 hectares que foi concebido como um “espaço contemplativo” para os indivíduos passearem, meditarem e refletirem sobre suas vidas. É descrito como um “parque meta-físico de diversão”, e as estátuas são supostamente para ajudar os visitantes a refletir sobre os diferentes estados da vida.

6. La Pasqualita

 

Sentado em uma vitrine de um shopping em Chihuahua, no México, está a forma de uma jovem mulher vestida de noiva. Enquanto não há nada notável sobre um manequim em si, é a aparência estranha e autêntica de um presente que gerou uma legião de histórias, desde a sua estréia em 25 de março de 1930. Se você olhar atentamente para o manequim, você verá uma quantidade assustadora de detalhes. De seu cabelo real, humano, com as mãos alinhadas e até mesmo as veias sob a pele, o manequim parece real o suficiente para fazer a maioria das pessoas ter um segundo olhar.

Além da sua aparência real ser estranha o suficiente, ela ainda tem uma semelhança impressionante com a falecida filha do dono da loja. A jovem morreu tragicamente na manhã de seu casamento, depois de sofrer uma picada de aranha venenosa. A morte recente e um reaparecimento do manequim assustadoramente realista, convenientemente vestida com um vestido de casamento não surpreendem que as lendas apareçam em torno da figura, alegando que o manequim é na verdade o corpo preservado da jovem.

Ninguém mais lembra seu nome e agora ela é simplesmente chamada de “La Pasqualita”, em referência a sua mãe, a lojista Pascuala Esparza. A mãe devastada emitiu declaração de que o manequim seria apenas isso: um manequim, mas sem sucesso. Ela ainda está lá e alguns dizem que ela muda de posição quando ninguém está olhando.

5. Black Aggie

5_1024px-Adams_Memorial_full_view

“Black Aggie ” é, como seu nome sugere, uma estátua negra de uma mulher quase completamente envolta em uma mortalha. Ela agora fica no pátio do Prédio do Tribunal Nacional, em Washington, DC, depois de ter sido rejeitada pelo Smithsonian (acharam que ela não seria uma obra autêntica do artista Saint-Gaudens). Porém sua história começa muito antes disso, com o suicídio de uma jovem apelidada de “Clover”. Clover era, na verdade, Marian Adams, esposa de Henry Adams e uma vítima de depressão de longa data, que tirou a própria vida em 1885, depois de bebeu produtos químicos de fotografia. Seu marido a imortalizou em uma estátua de granito rosa (visto na foto acima) por Augustus Saint-Gaudens. A figura envolta foi chamada Clover pelo seu escultor, e The Adams Memorial pelo marido despojado que encomendou a obra.

Infelizmente, nada é sagrado neste mundo. O memorial foi posteriormente duplicado para o túmulo de Felix Agnus – marinheiro, soldado e editor de jornal. Ele havia solicitado uma estátua de montagem para seu túmulo, e o escultor inescrupuloso apresentou sua viúva com uma duplicata não autorizada de The Adams Memorial – uma duplicata que ficou conhecida como “Black Aggie”. Depois que a viúva de Agnus morreu e foi enterrada perto do monumento, os visitantes do cemitério começaram a relatar avistamentos estranhos ao redor da estátua. As pessoas começaram a dizer que seus olhos brilhavam a noite. Há também uma lenda não confirmada de que uma jovem, pagando um trote de faculdade, teve de ir ao cemitério a meia-noite olhar em seus olhos e morreu de susto.

Dizem que fantasmas se reúnem ao seu redor (em terreno onde a grama nunca cresceu) e mulheres grávidas que passaram perto dela abortaram. O cemitério logo ficou sobrecarregado com caçadores de fantasmas e visitantes curiosos. Em 1967, “Black Aggie” foi doada ao Smithsonian e acabou por ser movida para o pátio traseiro da Dolly Madison house.

4. Fonte de Pênis

 

Como você pode encontrar Casa Rosso – o maior de clube teatral de sexo ao vivo de Amesterdão? Basta olhar para a fonte de pênis gigante, é claro! Pelo menos, costumava ser um marco para os turistas do distrito da luz vermelha, até o governo da cidade pedir sua remoção. Casa Rosso tem uma longa história de ser um dos fornecedores principais de sex shows, truques de adultos e, é claro, strip-tease para ambos os sexos. E a fonte do lado de fora do teatro realça a imaginação de como é o lado de dentro do teatro.

3. Bosc De Can Ginebreda

3_f116_2

Se você sempre quis caminhar por um parque de esculturas com uma mistura bizarra e muito, muito perturbadora do erotismo e da pornografia, com um conto de fadas, Bosc de Can Ginebreda é o local de férias ideal para você. Localizado em uma floresta de zimbro, cerca de duas horas ao norte de Barcelona, na Espanha, o parque de esculturas é o trabalho de um homem: Xicu Cabanyes. Sua oficina também está na propriedade, então ele está constantemente adicionando obras à sua coleção.

Estima-se que algo em torno de 100 pessoas por semana caminham entre os hermafroditas de pedra gigantes, esculturas de pessoas exageradas realizando vários atos, mulheres no meio dando a luz e uma peça ocasional, não pornográfica. Cabanyes está lá desde 1970, e agora tem mais de 100 peças escondidas e não tão escondidas – na floresta. Há paredes inteiras feitas de corpos de pessoas reais e não seria completa sem alguns pênis gigantes. Surreal e colocado contra uma uma pacífica e floresta, é preciso ver para acreditar. E então provavelmente nunca mais esquecê-lo.

2. Transição De Rene De Chalon

2_Squelette-Barleduc

Uma “Transição” é uma forma de escultura de mortos-vivos que se tornou popular no século 14. Enquanto a maioria das obras sobre morte anteriores tendiam a mostrar um gracioso e bonito retrato do morto, o movimento de transição da arte renascentista retratava claramente o corpo em um estado de transição de vida para a morte. No início, a idéia da forma de transição era apenas retratar o indivíduo em seu sono, mas ainda na forma reconhecidamente humana, como a arte progrediu, muitas das figuras se tornaram muito mais deterioradas, em decomposição.

Parado na Igreja Saint-Erienne de Bar-le-Duc, França, é um monumento ao jovem Rene de Chalon – o Príncipe de Orange. O príncipe morreu em batalha em 1544, aos 25 anos. A estátua em seu túmulo é de um esqueleto em tamanho natural, vestido de trapos, uma mão apertando o peito , e a outra segurando o seu coração acima de sua cabeça.

1. Monumento Para Enemas

1_enema

Os enemas (um tubo com laxantes para aplicação retal) não são algo que as pessoas pensem diariamente e, se o fizerem, a maioria não vai admitir. Mas todo mundo que anda pelo Spa Mashuk Akva-Term em Zheleznovodsk, Rússia, vai estar pensando nisso. Em 2008, o spa revelou um monumento ao enema, que é muito popular em seu spa centrado no tratamento gastrointestinal. A área é conhecida por seu tratamento com enemas usando água de fontes minerais naturais que nascem ao longo das montanhas do Cáucaso.

O monumento possui três querubins angélicos, inspirados pelo pintor renascentista Alessandro Botticelli (embora temos certeza que Botticelli nunca teve seus pequenos querubins com um enema sobre suas cabeças). A estátua custou 42 mil dólares.

Fonte: 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *