10 coisas que você pode não saber sobre o Monte Everest

Mais de 60 anos se passaram desde que Sir Edmund Hillary e Tenzing Norgay fizeram história como os primeiros do Monte Everest, no entanto, o desejo de subir a montanha não tem diminuído ao longo das décadas. Nós ouvimos inúmeras histórias das triunfantes – ou, mais recentemente, trágicas – tentativas de alcançar o topo. Mas muitos fatos interessantes sobre a montanha não são de conhecimento comum.

10 – Aranhas

10

Mesmo no alto do céu, com ar apenas o suficiente para respirar, ainda não podem se esconder de aranhas. Euophrys omnisuperstes (“em pé acima de tudo”), mais conhecida como Aranha de Salto do Himalaia, se escondem em cantos e fendas nas encostas do Everest, tornando-as uma das maiores residentes permanentes da Terra. Alpinistas têm visto elas tão alta quanto 6.700 metros.

As pequenas aranhas conseguem se alimentar de qualquer coisa perdida nos ventos graves que explodem na montanha. Elas são praticamente os únicos animais que permanentemente habitam em uma altitude elevada, além de algumas espécies de aves. Além disso, várias espécies de gafanhotos previamente identificados foram coletados durante a famosa malfadada expedição britânica de 1924 ao Everest e agora estão em exposição no Museu de História Natural britânico.

9 – Dois homens subiram 21 vezes

9

Dois sherpas, Apa Sherpa e Phurba Tashi detêm o recorde conjunto para a maioria das subidas no Everest. A dupla conseguiu chegar ao cume impressionantes 21 vezes. Phurba alcançou o topo do mundo três vezes, somente em 2007, e Apa subiu ao cume da montanha com sucesso quase todos os anos entre 1990 e 2011.

Apa diz que viu mudanças claras causadas pelo aquecimento global ao longo dos anos. Ele falou de suas preocupações com a fusão de neve e geleiras, que expõem a rocha e torna cada vez mais difícil de escalar. Ele também se preocupa com o bem-estar dos sherpas, depois de perder sua própria casa em uma inundação causada pelas geleiras derretidas. Apa dedicou várias subidas ao Everest à sensibilização para a mudança climática.

8 – A rixa mais alta do mundo

8

Escaladas do Everest nem sempre são os triunfos harmoniosos que você pode imaginar. Em 2013, os escaladores Ueli Steck, Simone Moro, e Jonathan Griffith encontraram-se em uma briga violenta com os sherpas, depois de supostamente ignorar ordens para deter sua escalada.

Os sherpas acusaram os escaladores de entrar em seu caminho e causar uma avalanche que atingiu outros sherpas. Os alpinistas negaram as acusações, e o confronto se tornou violento. Os sherpas chutaram, socaram, e venceram os homens com pedras, e Moro disse que um Sherpa com raiva até ameaçou matá-lo.

A luta poderia ter acabado consideravelmente pior, mas oaalpinista americana Melissa Arnot advertiu o trio a fugir para o acampamento base antes que fossem apedrejados até a morte. Após o incidente, um oficial do exército do Nepal foi testemunha enquanto os dois lados assinaram um acordo de paz para resolver o diferendo.

7 – Uma história de 450 milhões de anos

7

Embora as montanhas do Himalaia tenham se formado 60 milhões de anos atrás, a história do Everest, na verdade, remonta muito mais longe. O calcário e o arenito no cume da montanha era parte de camadas sedimentares abaixo do nível do mar, 450 milhões de anos atrás.

Com o tempo, rochas do fundo do mar foram forçadas a ficar juntas e empurradas para cima a uma velocidade de até 11 centímetros por ano, e acabou atingindo a posição atual. As formações superiores do Everest agora contêm fósseis marinhos de criaturas e conchas que uma vez ocuparam o oceano.

O explorador Noel Odell primeiro descobriu os fósseis embutidos dentro de rochas do Everest em 1924, provando que a montanha tinha estado uma vez abaixo do nível do mar. As primeiras amostras de rochas do Everest foram trazidas por alpinistas suíços em 1956 e por uma equipe escalada americana em 1963.

6 – Disputa de altura

6

Exatamente o quão alto é o Monte Everest? Isso depende de que lado da fronteira você está. A China disse que o pico está em 8.844 metros, enquanto o Nepal diz 8.848 metros.

Isso porque a China argumenta que a montanha deve ser medida pela altura da rocha, excluindo-se os metros de neve no topo. Seja ou não a melhor medida, a comunidade internacional inclui regularmente neve ao descrever as alturas de picos ao redor do mundo.

Os dois países chegaram a um acordo em 2010, estabelecendo-se a altura oficial como 8.848 metros.

5 – Está crescendo

5

Ambas as ideias chinesas e nepalesas sobra a altura da montanha podem estar erradas, de acordo com as medições mais recentes.

A equipe de pesquisa descobriu em 1994 que o Everest continua a crescer cerca de 4 milímetros a cada ano. O subcontinente indiano era originalmente uma massa de terra independente, que colidiu com a Ásia, formando o Himalaia, e as placas continentais ainda estão se movendo, empurrando as montanhas cada vez mais para o alto.

Pesquisadores da Milênio Expedition em 1999 colocaram um dispositivo de posicionamento global por satélite abaixo do cume para medir o crescimento. Seus resultados mais precisos a partir da tecnologia moderna levaram à altura oficial do Everest sendo alterada para 8.850 metros.

4 – Vários nomes

4

Embora conheçamos a montanha como “Everest”, nativos tibetanos têm chamado a montanha pelo nome antigo “Chomolungma” (também escrito “Qomolangma”) durante séculos. O nome tibetano significa “Deusa Mãe das Montanhas.” Mas esse não é o único outro nome. O povo do Nepal conhecem como “Sagarmatha”, que significa “Testa no Céu”, de modo que a montanha é agora uma parte do Nepal “Sagarmatha National Park.”

A montanha só foi chamada “Everest” quando o britânico Andrew Waugh não conseguiu encontrar um nome local comumente usado. Depois de estudar os mapas das áreas circundantes e ainda ser incapaz de tomar uma decisão, ele nomeou a montanha em homenagem ao indiano Surveyor General George Everest, chefe da equipe britânica que primeiro examinou o Himalaia. Coronel Everest opôs-se à honra, mas o britânico mudou oficialmente o nome da montanha de “Pico XV” para “Monte Everest”, em 1865.

3 – Engarrafamento humano

3

Apesar de custar milharess de dólares para subir o Everest, mais pessoas que nunca estão tentando. Em 2012, o alpinista alemão Ralf Dujmovits capturou uma imagem chocante, mostrando centenas de alpinistas fazendo fila para chegar ao cume. Ralf tinha tomado a decisão de voltar atrás no Colo Sul da montanha devido a más condições climatéricas, quando ele avistou a fila dolorosamente longa.

Em 19 de maio de 2012, os escaladores que se aglomeraram um marco perto do cume enfrentaram uma espera de duas horas. No curso de apenas metade de um dia, 234 pessoas conseguiram alcançar o pico – mas quatro morreram, elevando as principais preocupações sobre o processo de escalada. Especialistas do Nepal adicionaram uma nova corda fixa para aliviar o congestionamento, e houve mesmo um papo de instalação de escadas permanentes.

2 – A montanha mais suja do mundo

2

Inúmeras fotos documentaram os escaladores em seu caminho até o cume do Everest, mas raramente vemos imagens do que eles deixam para trás. Everest está repleto não apenas com os cadáveres de alpinistas, mas cerca de 50 toneladas de resíduos, com mais deixado para trás a cada temporada. As pistas estão espalhadas com garrafas, equipamentos de escalada e muitas fezes humanas.

O Eco Everest Expedition atinge a montanha todos os anos desde 2008 para resolver o problema, e eles coletaram mais de 13 toneladas de lixo até o momento. O governo do Nepal tem imposto uma nova regra, a partir de 2014, que os escaladores devem trazer 8 kg de resíduos em sua descida, senão perdem o depósito de US $ 4.000.

Artistas que trabalham com o “Everest 8848 Art Project” transformaram 8 toneladas de lixo – incluindo barracas quebradas e latas de cerveja – em 75 peças de arte. 65 carregadores trabalharam por mais de duas expedições para levar para baixo o lixo, e os artistas transformaram em esculturas para destacar a questão da bagunça na montanha.

1 – Não é a montanha mais alta

1

Embora o Monte Everest seja o ponto mais alto da Terra a partir do nível do mar, Mauna Kea, um vulcão havaiano inativo, detém o recorde como a montanha mais alta do mundo.

O pico do Everest tem a maior altitude, mas isso não significa que seja o mais alto. Mauna Kea só pode atingir uma altura de 4.205 metros acima do nível do mar, mas o vulcão estende incríveis 6.000 metros abaixo da superfície da água. Medido a partir de sua base no fundo do oceano, a sua altura total é de 10.200 metros, tornando-se quase uma milha mais alto que o Everest.

Na verdade, dependendo de como você medir, o Everest não é a montanha mais alta, nem o pico mais alto. Chimborazo, no Equador, só atinge 6.267 metros acima do nível do mar, mas é o ponto mais alto do centro exato da Terra. Isto porque Chimborazo reside apenas um grau ao sul do equador. A Terra protrai no seu meio, assim o nível do mar do Equador fica mais distante do centro do planeta do que do Nepal.

Fonte: 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *